Realização

Sobre a produção de mudas

  • Todos os produtores que comercializam mudas de espécies florestais devem ter registro nos órgãos de fiscalização. A declaração da produção estimada para cada espécie deve ser feita anualmente.

  • Ficam dispensadas do registro no Ministério da Agricultura as instituições sem fins lucrativos que produzem, distribuem ou utilizam mudas para recompor ou recuperar áreas de interesse ambiental, no âmbito de programas de educação ambiental.

  • Qualquer cidadão pode produzir mudas de espécies florestais, desde que sejam utilizadas somente em sua propriedade, sendo proibida a sua comercialização.

Doação

As instituições interessadas em obter mudas através de doações devem encaminhar à Gerência do Serviço Florestal do Inea um documento oficial informando quantidade e espécies requeridas, além do objetivo da solicitação. No caso de compra, os interessados devem se dirigir diretamente às unidades de produção.

Mudas para reflorestamento

Os hortos florestais do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), localizados nas regiões serrana e metropolitana do Rio de Janeiro, distribuem mudas de espécies nativas para programas de reflorestamento da Mata Atlântica. Produzidas em cinco unidades, as essências florestais são doadas a instituições sem fins lucrativos ou vendidas a particulares.
Os hortos funcionam, ainda, como áreas de pesquisa e lazer. Além de realizarem estudos sobre o manejo de mudas, abrigam trilhas abertas à visitação pública.

A Mata Atlântica hoje

Estima-se que, quando o Brasil foi descoberto, a Mata Atlântica cobria 98% do território fluminense. Hoje, calcula-se que menos de 17% da superfície do estado estejam cobertos por remanescentes desta floresta. O governo, no entanto, tem dado mostras de que trabalha para mudar esta realidade. Somente entre 2009 e 2011, a área de Mata Atlântica protegida pelos municípios fluminenses duplicou, passando de 101,3 mil para 209,9 mil hectares. O salto na preservação se deve tanto ao trabalho das unidades de conservação quanto aos programas que estimulam a participação das prefeituras na proteção do bioma, um dos mais ameaçados do planeta.